Terça-feira, 28 de Novembro de 2017

Santos Silva não gosta das Redes Sociais, Porquê?

 

 

 

As redes sociais significam cada vez mais o avanço das pequenas classes médias para o poder, o que não necessita de ser o exercício de cargos políticos, mas o uso da palavra, da crítica e a assunção de posições ideológicas.

Há muito que a grande Nobreza foi substituída pela grande burguesia e depois pelas pequenas burguesias republicanas e, por fim, pelas classes médias que não possuem meios de produção, mas conhecimentos un...iversitários, e agora as classes médias´baixas têm um poder que não se limita a colocar a cruz num boletim de voto e a submeter-se aos "inteligentes" que dominam o meio intelectual e a comunicação social.

Agora estamos a atingir a realidade, todos somos iguais, todos temos opiniões, todos lutamos uns contra os outros e deixámos de respeitar juízes que o não são, políticos incapazes e economistas que nada sabem de números ou filósofos de linguagem incompreensível.

O mercado está cheio de revistas de divulgação científica e económica escritas por pessoas que pretendem ser mais e menos que intelectuais. Mais para espalharem ideias e menos para seguirem corrente oportunistas.

De resto, há nas redes sociais lugares ideais para os intelectuais que podem divulgar diariamente os seus pensamentos sem pedirem o favor dos diretores de jornais ou editores para os quais as ideias, o próprio pensamento, só existe se for comercializável.

Aqui, nas redes sociais, face, blogs e twiters há lugar para todos os que têm algum tempo livre para pensarem e exprimirem o que pensam.

Só nas redes sociais é que se PENSA livremente e se colhem opiniões de uns e outros. Vivam pois as redes sociais. Viva a comunicação total de todos com todos.

Quando visito em campanha eleitoral um bairro de realojamento, falo com uma senhora quase analfabeta e vejo nela uma filósofa, uma pessoa que tem a universidade da vida e que me ensina o que é a vida. Eu seria o mais estúpido dos estúpidos se recusasse o conhecimento e as opiniões do povo e não deixasse de filosofar sobre o sábio conhecimento do POVO.

 

publicado por DD às 22:49
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Abril 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. O FIM das Potências Emerg...

. Diretor do Técnico não Go...

. O “Meias Brancas” e o “Al...

. Os Escritores como Prefác...

. O que é o Estado?

. Dieter Dellinger: Proleta...

. Neto de Moura: O Pior Por...

. Santos Silva não gosta da...

. Violência Doméstica Antig...

. Putin e a Revolução de Ou...

. A Minha Família na Revolu...

. O verdadeiro crime é vive...

. Dieter Dellinger Comenta:...

. Um Nobel Esquisito Este A...

. As Contradições do Mundo ...

.arquivos

. Abril 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Junho 2017

. Outubro 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Maio 2015

. Janeiro 2015

. Junho 2014

. Fevereiro 2014

. Novembro 2013

. Junho 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Agosto 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Novembro 2011

. Maio 2011

. Setembro 2010

. Junho 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Abril 2009

. Junho 2008

. Maio 2008

. Agosto 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Março 2006

. Janeiro 2006

. Julho 2005

. Março 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

.tags

. todas as tags

.links

Contador de visita
Contador de visita
Hospedagem de Sites
Contador de visitas grátis

.Online

web counter
blogs SAPO

.subscrever feeds